Há três coisas que devem ser evitadas na vida: inimigos, ódio e bondade.

Procuro evitar os três, mas ainda não existe a fórmula da perfeição. 

Por isso vagueio por aí, entre o bem e o mal.

 

início | petit papillon | reflexões | poemas | stórias | curiosidades

05 de Junho de 2009

Já perdi a noção do tempo no qual deixei de olhar para o meu petit pappilon, e não tem noção como gosto dele... enfim, há coisas assim, sem explicação.

 

A nova vida tem motivado o desleixo que se esconde por debaixo de outros afazeres, hei-de deixar-me disso! Vida nova, novos hábitos sim, mas há que manter os bons ao menos, por isso estou de volta!

 

Ultimamente tenho pensado em tudo aquilo que cultivamos como sendo certo/errado. Nos hábitos que adquirimos, outros que inventamos ou simplesmente roubamos de outros por puro gosto e, o mais engraçado é quando damos tantas voltas a vida e no mundo e acabamos onde tudo começou onde já nada se encaixa, nem os hábitos de hoje, nem os de ontem e teimamos em não criar novos.

 

Nestes momentos olhamos e criticamos tudo a volta, porque assim não pode ser! Como é possível? Isto não existe... e aí surgem as saudades do antigo, do anteriormente instituído e até da rotina.

 

Ainda não iniciei a procura de novos hábitos mas sei que eles já se estão a formar mas teimosamente continuo a resistir e por isso vou dedicando a hora da comida à escrita e ao da escrita deverei estar a comer.

 

Não sei como chamar isso, "des-construir?", ou recomeçar?

 

A música sim, continua a mesma, para contrariar a todo esse atropelo de coisas novas.

vôo de Hildmel às 13:26

Nem des-construir, nem recomeçar, ainda não acabaste, estás a continuar.

Novos hábitos, bons, são bem-vindos. Nova forma de vida, novos desafios, porque não?
É certo que custa pensar na adaptação, pô-la em prática, mas assim que se entra no ritmo da mudança é a roda viva.

Se a música continua a mesma é porque a alma também e essa eu conheço, é forte e destemida!
Vai dançar ao som da sua música e de evz em quando ao som dos outros só para dar o gostinho da generosidade ;) algo que não te falta.
5 de Junho de 2009 às 18:03

Começar ou recomeçar nunca é fácil, mas porém é nela que revelamos a força de lutar e vencer que existe em nós.
Em conversas com o meu poeta, ele dizia que na vida tudo vale a pena, e que podemos mudar tudo a nossa volta, mas algo deve continuar intacta, a inquietação da alma.


6 de Junho de 2009 às 12:12

O que mantém a unidade em momentos de reconstruir é toda a construção anterior... são vocês, meus queridos inalteráveis... dnb
10 de Junho de 2009 às 11:17

Hora de nha terra
Petit Papillon
pesquisar
 
vôs antigos
blogs SAPO